TOURS DE VINOS | VINÍCOLAS DE MENDOZA

CHANDON

Vinícola Chandon

No fim dos anos 50, a Casa Moët & Chandon, de Epernay, a principal cidade da região de champagne na França, projetava instalar, pela primeira vez em vários séculos de existência, vinícolas e vinhedos fora da França. O local escolhido foi a Argentina. Renaud Poirier, um enólogo experiente da empresa, percorreu diferentes partes do nosso país e determinou que o local mais adequado para este projeto era a província de Mendoza, na região de Agrelo, distrito do departamento de Luján de Cuyo.


No ano de 1959 o projeto foi concluído. A empresa, desde a sua criação, teve a assessoria de técnicos de Moët & Chandon da França. Razões para essas grandes expectativas não faltavam. Moët & Chandon foi fundada em 1743 e seus produtos, incluindo o lendário Don Perignon que já eram famosos em todo o mundo. A sabedoria enológica da empresa e seu formidável poder de comercialização, além de colocar o espumante Chandon rapidamente no topo das vendas, formaram e impuseram o "sabor argentino", causando uma mudança acentuada nos hábitos das pessoas.


Esse sucesso, o que poderíamos chamar de brilhante, levou muitas vinícolas a tentar competir desenvolvendo seus próprios espumantes. O mercado que havia crescido com o surgimento de Chandon, expandiu-se ainda mais. Mas essa tendência, o rumo, o caminho sempre foram Vinícola Chandon, que algum tempo depois criou o Barão B, a Cuvée Speciale da empresa. Uma vez que este primeiro objetivo foi alcançado, Chandon passou a desenvolver uma linha de vinhos brancos, rosés e tintos. Nos últimos anos, Chandon tem feito grandes investimentos em sua propriedade, chegando a uma capacidade de armazenamento de cerca de 17.000.000 de litros. A vinícola Chandon possui uma área aproximada de 1.333 hectares cultivados e continua aumentando 500 hectares a cada ano.


VINÍCOLAS DE MENDOZA